Google Web Stories (AMP Stories) como criar conteúdos otimizados para SEO com o novo formato de conteúdo [checklist]

Google Web Stories (AMP Stories): como criar conteúdos otimizados para SEO com o novo formato de conteúdo [checklist]

Criado recentemente pelo Google, Web Story (também chamado de AMP story) é o novo formato de conteúdo para a web, que tem como objetivo proporcionar uma melhor experiência aos usuários. 

O formato basicamente simula a forte tendência dos stories, cada vez mais utilizados em diferentes redes sociais. 

São como stories do Instagram, mas em páginas da web! 

Esse formato está sendo muito incentivado pelo Google e já ajudou várias empresas a consolidarem mais uma fonte de tráfego sólida para SEO. 

Além de ser um formato que gere engajamento e seja muito agradável aos usuários, os stories tem um potencial muito grande, que não deve ser ignorado. 

Utilizar esse novo formato é aproveitar a grande oportunidade que vem com ele, principalmente em momentos como este, onde a concorrência ainda é pequena, mas a demanda é grande.

Saiba neste artigo mais sobre o que são os AMP Stories, como criaá-los atendendo todos pré-requisitos, como analisar seu desempenho e 7 boas práticas de SEO para o formato!

O que é uma Google Web Story? 

Quero ser breve nessa parte, já que expliquei um pouco sobre o que se tratam na introdução. 

Basicamente são página da web em um formato único, com imagens na vertical e uma sequência de storeis dentro de uma mesma página, como se fossem o stories de alguém no Instagram. 

Apesar do foco ser na experiência mobile, o formato é também compatível para desktop. 

Os Web Stories podem aparecer tanto na busca normal e de imagens no Google, quanto no Google Discover, onde tem um destaque especial que os tornam ainda mais relevantes e uma fonte imperdível de tráfego.

Veja o visual deles em cada local de exibição do Google:

Discover

Web Story no Discover em destaque

Web Story no Discover em destaque

Pesquisa do Google

Web Story único na pesquisa do Goolge

Destaque dos stories na pesquisa

Google Imagens

Web Story no Google Imagens

Como é um formato muito diferente, há algumas especificações técnicas que podem tornar mais difícil a criação de um Web Story.

Felizmente, há atualmente diversas ferramentas desenvolvidas para incentivar o uso de Web Stories – uma delas pelo próprio Google – e que possibilitam com que basicamente qualquer pessoa possa criar conteúdos nesse formato 😉

Vou falar sobre essas ferramentas em detalhes mais à frente, no tópico de criação de uma Google Web Story!

Por que criar conteúdos nesse formato? 

Acredito que já tenha ficado bem claro o motivo, mas aqui estão as principais vantagens em explorar esse recurso:

  • Destaque no Discover, com potencial de alcance elevado
  • Formato que gera engajamento
  • Possibilidade de conquistar novos e fiéis usuários com um formato diferente
  • Trazer mais oportunidades para impulsionamento de conteúdo em outras áreas, como Social

Agora que você sabe o que são os Web Stories e sua importância, veja como criá-los de forma simples!

Como criar um conteúdo no formato Web Story do Google? 

Veja o checklist que fizemos para te ajudar a atender todos os requisitos desse formato:

Google Web Stories: Checklist completo para ter conteúdos otimizados nesse formato!

Como eu disse, há algumas ferramentas com interface bem amigável que te ajudam a criar uma Web story sem complicações:

Se você usa WordPress, por exemplo, basta instalar o plugin “Web Stories”, fazer algumas configurações básicas e começar a criar! 

Web Stories plugin WordPress

Antes de criar seu story, sabia que há alguns pré-requisitos do Google para que eles apareçam da forma correta para o usuário:

1. AMP válida

Você deve checar se a página é uma AMP válida. É possível fazer isso pela ferramenta de teste de AMP Stories.

Ferramenta de verificação de AMP Válida pelo Google

2. Metadados

Os metadados, assim como title e description, referenciam os elementos mais importantes da página para que ela apareça no Google.

Como os stories são apresentados de forma diferente, eles requerem alguns metadados particulares:

requisitos do Google para um Web Story em relação a metadados

publisher-logo-src: é a logo do publicador da Story

tvejYDJaNy2DKQBGCb5HwIDusrj4Ke2G0 kZULUv7hw6Nya2mOU245GLIkF fvsjIDixdUZ5mp MjPlKcQ8kX9tedDkN41LzLvASxmcGHQkhOtDT20gR3GmYV82W7C

  • Deve ser em formato .jpg, .png, .gif
  • Evite arquivos .svg e .eps! 
  • É importante evitar animações, como gifs
  • Deve ter um fundo contrastante com a cor de fundo do Story
  • Deve ter no mínimo 96px por 96px
  • Adicionar padding de 8px ao redor da logo
  • Não pode ter fundo transparente
  • Tente usar uma única logo para todos stories.

XdVM6WjP9ZlaGCHr4J0 BEHO7TBuMvwwBsu4sqbI0ZuF qYQQDvSOrvAdiod7NVArIwj8EBlEZTgXMi5BqUWm

poster-portrait-src: é a imagem principal da story

17XbP9L8W4UBPFLAPWiLp3K2px4XNpRpZUTk IsWn iaKIYK virShYRJ3VmwI1 YwC65wSy nmPXouIM9Ep3Md DQWYujR8Mjkv prHSApB0hJmPr9Hka8K9 HSHcr0R4P6lY

  • O Google recomenda que seja uma imagem 3×4 com 640px de largura por 853px de altura
  • Use imagens com alta qualidade e evite texto embedado na imagem!

title: é o título da story em questão

6h7D6U00upfu4cMgL1Fm 23a5kvFSfOv9yxcvtvGqui OGBeNQYNKN5pHXujEhRyJ2DF7OKOBOFiTC8 WGOkqDGCFad2Cu9hqHOGvyGqJvguESRo1GKOK72PmfBXfc6gbGZAo ov

  • Tenha um título claro e atrativo
  • O título deve ter menos de 40 caracteres para não estourar na página

publisher: nome do publicador do conteúdo

Web Stories publisher especificações

  • Deve ter menos de 20 caracteres para não estourar na página

3. A Web Story deve ser canônica

Todas as Web Stories devem ser canônicas, diferente do que estamos acostumados com páginas AMP.

Para checar, veja se a canonical está certa no HTML: 

link rel=”canonical” 

href=”www.exemplo.com/webstory.html”.

Esses são os principais requisitos, mas há várias boas práticas de SEO que também devem ser seguidas.

Veja as principais:

7 Dicas valiosas de SEO para Google Web Stories

Assim como qualquer conteúdo para Web, as boas práticas de SEO que você já conhece são aplicáveis aos stories:

Indexação 

  • Inspecionar a página no search Console para verificar se não há algum erro de indexação
  • Verificar se a página está no sitemap e se não é bloqueada pela meta tag “noindex” ou pelo arquivo robots. txt
  • Estrutura de heading tags também deve ser seguida, com H1, H2, H3… 

Dados estruturados

As AMP Stories também são compatíveis com dados estruturados

Ou seja, assim como em uma página normal, é importante utilizá-los nos stories, veja alguns tipos mais comuns:

  • Article (NewsArticle, BlogPosting e Article) 
  • FAQ Page: perguntas e respostas são um formato interessante para o usuário, que pode gerar mais cliques se bem feito. Com a marcação schema de FAQ Page você consegue potencializar ainda mais esse formato no Google

Estrutura do site e Linkagem Interna 

Muitos criadores cometem o erro de tratar stories como uma seção separada do site.

Isso é um erro pois, como eu disse, Web Stories não passam de páginas do site e, portanto, as boas práticas de SEO também se aplicam a eles, inclusive em relação à estrutura de URL e arquitetura do site. 

As stories também devem participar da hierarquização e categorização no site, pois se encaixam nas diferentes categorias, subcategorias e tags. 

Não só inserir na estrutura do site, também é importante linkar os stories de outras páginas, mesmo de páginas “normais”, contanto que tenha um contexto certo.

A linkagem interna de páginas importantes para stories e inserção dos mesmos na estrutura do site reforça sua autoridade e relevância para o Google e, consequentemente, seu desempenho na web. 

Dica : tenha uma seção para os stories na home. A home costuma ser a página com mais autoridade no site, use essa autoridade a seu favor! 

Otimização de imagens

A otimização de imagens nos stories é fundamental, afinal, seu principal elemento são as imagens.

Elas não devem apenas ser de qualidade, mas também serem compactas e acessíveis. 

Se você usa wordpress, instale um plugin para otimizar suas imagens de forma automática, recomendo o Smush!

Quanto à acessibilidade, vou falar mais sobre no tópico “Foco em acessibilidade”.

Metadados novamente

Title e Description não poderiam faltar aqui e também são aceitos nos stories. Porém, os Metadados de stories na verdade são um pouco diferentes. 

Já expliquei sobre eles acima, mas gosto de reforçar sua importância, já para sem eles você nem aparecerá nos resultados do Google!

Use também outros metadados, como Open Graph, para otimizar seus snippets em posts de social.

Foco em acessibilidade

O Google já deixou bem claro que um de seus focos com os stories é torná-los mais acessíveis possível. 

E, é claro, você pode ajudar com isso ao estruturar seus conteúdos. 

No texto alternativo das imagens, descreva BEM sobre o que se trata cada elemento na imagem.

Dessa forma, você não só pode ser beneficiado pelo Google, mas também ajuda pessoas que precisam desse recurso a entender o conteúdo.

Lembre-se também de não colocar os títulos direto na imagem, isso dificulta muito tanto para o Google ler o conteúdo, quanto para alguns usuários.

Crie um sitemap para os stories

Quando você iniciar uma nova estratégia de stories, pode ser que o Google demore um tempo até indexar seus conteúdos. 

Uma boa prática para agilizar esse processo é simplesmente informar a ele que há novas páginas desse tipo! 

A criação de um sitemap para stories ou incorporação dos stories no sitemap já existente é essencial. 

Lembre de enviar o sitemap pelo search console e atualizá-lo sempre que adicionar algo novo. 

Como analisar os resultados de Web Stories?

páginas mais acessadas de um web story pelo Google Analytics

Já está longo esse conteúdo, não é mesmo? 

Estamos chegando ao fim! Ao menos agora você tem um guia completo, de ponta a ponta, para aproveitar ao máximo esse formato. 

Na análise dos resultados de stories, você deve pensar em duas frentes:

  • Visibilidade, alcance e interação
  • Experiência na página

Sugiro a criação de um dashboard específico para stories e adição desse formato em seu dashboard geral do site também, para acompanhar sua representatividade no tráfego total.

Você pode fazer isso através da clusterização de dados usando regex, no Data Studio

Dica: lembre-se que só a evolução do tráfego em si não diz muita coisa em um dashboard. Para mais assertividade e análises aprofundadas, você deve acompanhar as diferentes categorias e tipos de conteúdo.

Para acompanhar a visibilidade, alcance e interação das stories, recomendo as seguintes métricas:

  • Sessões 
  • Impressões 
  • CTR

Sim, mantenha seus dashboards simples, apenas com as informações realmente relevantes para sua análise.

Não é muito assertivo encher o dash com todas métricas possíveis!

Experiência no Story 

Entender o comportamento do usuário em sua página é fundamental para saber os formatos, CTAs, títulos e imagens que funcionam melhor. 

Lembre-se também que o Google entende cada vez mais o usuário e sabe quais formatos costumam ser mais relevantes para determinados temas. 

Para criar um dashboard de experiência, você pode adicionar uma configuração padrão muito simples na página, que permite o trackeamento de cada página do story no Analytics, basta usar o seguinte código:

Código AMP Analytics para analisar web stories

Essa configuração permite que você configure eventos no analytics, que são acionados quando um usuário acessa as diferentes páginas do story.

Funciona assim:

eventos GA Google Web Stories

Ou seja, “story-progress” é o evento acionado sempre que o usuário acessar qualquer página e “story-complete” é acionado apenas quando ele chega à página final!

Com essa configuração, você pode, por exemplo, criar um relatório personalizado no Analytics com o número médio de páginas visitadas por story em seu site, tempo médio de permanência em cada story e em quais páginas de um story os usuários costumam sair.

Dica:  recomendo a leitura deste artigo sobre a configuração e relatórios para Stories.

Use a criatividade para criar relatórios completos e maximixar o potencial de suas stories.

Espero ter ajudado com esse conteúdo! Veja também o post sobre a nova atualização do Google Passage Indexing, que vai mudar a forma como olhamos para os conteúdos.

Últimos Posts

Categorias e Autor